© 2023 by APPETIZING ADVENTURES. Proudly created with Wix.com

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Pinterest Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon

Energia e seus possíveis desequilíbrios

15.05.2018

A cada dia que passa vejo as pessoas, e eu mesma, reclamando de falta de energia, cansaço, dificuldade pra dormir, dificuldade pra acordar. Enfim, há uma série de problemas que podem se relacionar com energia e ao desequilíbrio dela e poucas soluções disponíveis na nossa cultura ocidental medicalizada. Acontece que as opções de vida que temos hoje acabam por minar nossas energias. Trabalhamos demais, temos muitos estímulos, nos alimentamos mal e temos pouco contato com a natureza e a única solução possível pra isso parecem ser os remédios. Tem remédio pra dormir, pra acordar, pra concentrar. E eu até entendo a utilidade dos remédios, mas não podemos negar que quando utilizados em excesso, sem acompanhamento adequado ou sem necessidade eles podem fazer mal, sem falar dos efeitos colaterais, desequilíbrios que eles podem gerar no corpo humano. É por isso que acredito que uma visão holística - que leve em conta a vida da pessoa, alimentação, rotina, metabolismo, centrada nas particularidades da pessoa e na busca pelo equilíbrio energético - só tende a ajudar e nunca a piorar os problemas.

Quando falamos de energia, existem vários pontos de vista e significados que podem ser dados a essa palavra. Nesse post o foco será na energia como impulso de vida, animação, ação e vontade de agir. Levando isso em conta existem dois principais problemas energéticos: a falta de energia e o excesso dela. Nos dois casos, as causas podem ser inúmeras. Má alimentação, desequilíbrios energéticos vindos da própria concepção da pessoa, problemas pessoais, excesso de energia voltada para uma só área da vida, frustrações, raivas. Enfim, uma série de causas que precisam ser analisadas para compreender melhor o indivíduo e ajudar no tratamento do problema. Quanto às manifestações, no caso da falta de energia, podemos ver pessoas com muito sono, falta de ânimo, dificuldade de iniciar e tocar projetos, falta de libido, estresse, esgotamento, sensação de estar sempre no limite. Já no excesso de energia vemos pessoas incansáveis, que não dormem, não descansam, fazem coisas o tempo todo, têm agitação motora, estresse constante, dificuldade de relaxar e seguir o ritmo da vida. E muitas vezes os excesso e a falta de energia se combinam em um ciclo interminável: pessoas super produtivas no trabalho, que ao fim do dia se transformam em verdadeiros zumbis que não tem ânimo pra nada, não descansam, se esgotam e no outro dia estão fazendo mil coisas e o ciclo nunca pára. 

 

É claro que o tratamento desses desequilíbrios devem ser feitos com cuidado, atenção especializada e da maneira que seja mais adequada para cada indivíduo, mas aqui nesse post vão algumas fomas fáceis, acessíveis e transformadoras para buscar esse equilíbrio energético.

 

1. Alimentação 

A alimentação tem papel principal quando falamos de energia. Muitos desequilíbrios energéticos podem ser associados ao pouco conhecimento do corpo e das próprias necessidades alimentares. A energização e nutrição do corpo tem muito mais nuances do que uma simples contagem de calorias e índices de carboidratos, proteínas e gorduras. Tudo que consumimos tem reflexo em nosso corpo e carrega consigo características próprias, nutrientes e propriedades. Alimentar-se sem conhecer o próprio metabolismo e as necessidades do corpo pode contribuir muito para a falta ou excesso de energia. Se você tem um dia exaustivo pela frente e sente que tem pouca energia, pode ser válido investir em alimentos quentes e energéticos. Pimenta, canela, gengibre, gergelim preto, café e chá preto são exemplos de alimentos que podem ajudar a aumentar a energia de forma natural ou gradual. Evitar açúcar braco e refinado também pode ser vantajoso, já que o açúcar libera uma grande quantidade de energia no corpo de uma vez só e depois esses níveis caem, gerando queda repentina na energia e gerando desequilíbrios no corpo.

Se há ansiedade, nervosismo, dificuldade pra dormir, tubérculos e cereais integrais podem ser a melhor opção, pois têm propriedades centralizadoras. Mandioca, cenoura, batata, iname, arroz integral, lentilha, são exemplos de alimentos que podem ajudar. Chás como camomila e erva doce também podem ser úteis para o equilíbrio energético. Outro ponto importante é saber ouvir o corpo e as próprias  necessidades alimentares. O corpo é sábio e busca mandar as mensagens de acordo com suas necessidades. Uma vontade de comer doces pode indicar uma necessidade energética maior. A falta de fome pode indicar um excesso de energia no corpo em determinado momento. O desejo por frutas refrescantes pode indicar uma falta de hidratação no organismo. Enfim, é preciso saber ouvir as próprias necessidades e buscar respeita-las com muita sabedoria. Outro ponto importante diz respeito a uma alimentação natural. Produtos industrializados, com ingredientes sintéticos e desconhecidos podem fazer mal pro corpo e gerar dificuldades de digerir nutrientes e confundir nosso organismo, fazendo com que ele nos mande mensagens erradas. Além de conterem um excesso de calorias e energias que contribuem para o funcionamento acelerado do nosso corpo. Por essa e  por outras inúmeras razões, buscar uma alimentação mais natural e caseira possível pode ajudar a resgatar as energias e a reequilibrar o corpo. A natureza é sábia e pode nos oferecer exatamente aquilo que precisamos. Confie nela.

 

2. Meditação 

A prática da meditação já é comumente associada à tranquilidade e à calma, sendo muito indicada para pessoas com estresse, excesso de pensamentos e dificuldade de dormir, que são sintomas de excesso de energia. O que poucas pessoas sabem é que a meditação também tem ótimos resultados quando o problema é baixa energia. A concentração na respiração e a respiração abdominal, partes integrantes da prática meditativa, podem ajudar muito a aumentar os níveis de energia no corpo. A meditação associada a visualização de cores e de nuvens de energia ajuda muito. Assim, se o problema é excesso de energia, o ideal meditar buscando acalmar os pensamentos, com a prática de expiração mais longa do que a inspiração e a visualização da luz azul. Se o problema for falta de energia, pode-se meditar com um mantra específico - o clássico OM é uma ótima opção - realizar respirações abdominais com inspirações maiores que a expiração, em conjunto com a visualização de uma luz dourada brilhante entrando pelas narinas e se concentrando na barriga.

 

3. Exercício

Os benefícios dos exercícios são unanimidade nos dias de hoje. Todos sabem o que os esportes podem trazer de bom para o corpo e quando o assunto é energia os exercícios podem ter um ponto chave para o equilíbrio energético. O exercício tem poder de movimentar pelo corpo as energias paradas e aumentar o nível de energia circulante ao mesmo tempo que pode ser capaz de liberar energias excessivas e funcionar como escape energético e emocional. É claro que o tipo de exercício a ser feito pode variar muito de acordo com cada pessoa, sendo ideal que a própria pessoa observe o que o corpo pede e faça exercícios que se adequem a ele. Em casos de pouca energia, exercícios como pilates, yoga e musculação podem ter função importante para aumentar os níveis de energia e concentrá-los. No caso de excesso de energia, exercícios aeróbicos e lutas podem ajudar a descarregar aquilo que está sobrando no corpo, ajudando no equilíbrio. Entretanto, é preciso ter cuidado, pois esportes competitivos podem aumentar os desequilíbrios, gerando gastos ou aumentos excessivos de energia.

 

4. Falar não

Uma palavrinha tão pequena e tão simples, mas tãão difícil de ser falada. Aprender a falar não nas mais diversas situações é muito importante pro nosso bem-estar e pro nosso equilíbrio energético. Falar sim, quando na verdade a vontade era falar não, mina nossas energias. É claro que é muito importante pensar no outro, ser caridoso, viver em harmonia e união com as outras pessoas, mas a partir que isso requer deixar de fazer algo por você, as coisas se desequilibram. Sabe quando você pega responsabilidades do outro que você não gostaria de pegar, ou quando ajudar o outro é algo que vai ser extremamente difícil e incômodo pra você, mas você faz mesmo assim, ou quando sente que precisa agradar o outro e deixa de impor seus limites, ou simplesmente quando você quer ficar quietinha em casa, mas seus amigos ficam insistindo pra sair e você acaba aceitando pra não ser chata? Pois é, em todas essas situações a sua energia vai lá embaixo. Saber separar-se do outro com sabedoria e sem deixar de pensar no outro é realmente uma tarefa um pouco complicada, mas essencial pra manutenção de energias equilibradas. Quantas vezes nos desgastamos pra agradar o outro ou porque achamos que se negarmos algo não seremos amados ou seremos chatos? Falar não é respeitar os próprios limites e é amor próprio. Então, reserve um tempinho da sua semana pra fazer coisas pelos outros ou pense em situações que você não ligaria de ajudar ou fazer algo por alguém, mas busque também dizer mais nãos e impor mais seus limites. Você vai ver como sua energia vai se equilibrar rapidinho! 

 

5. Terapia 

Por fim, vale ressaltar que os desequilíbrios energéticos podem ser gerados por problemas psicológicos e quaisquer que sejam eles, a psicoterapia tradicional e terapias holísticas podem sempre ajudar a lidar. Falar ajuda a circular a energia interna e a redirecioná-la e muitas vezes a terapia ajuda a desenvolver um auto-conhecimento e uma conexão interna que podem ajudar muito a resolver problemas de todos os tipos. Além disso, a terapia pode ajudar no desenvolvimento de ferramentas para lidar com a vida, diminuindo os desequilíbrios e as somatizações no corpo de problemas psicológicos. Existem também terapias alternativas como o Reiki e a Acupuntura que são muito eficazes com desequilíbrios energéticos, físicos e emocionais, podendo ajudar muito também.

Share on Facebook
Please reload

Search By Tags
Recent Posts

October 17, 2018

Please reload

APPETIZING
ADVENTURES
-
COOKBOOK